App Sympla
Baixe agora

II Fórum Internacional Novas abordagens em saúde mental Pelotas

Auditório da Faculdade de Direito da UFPel - Pelotas, RS
13 de setembro de 2019, 08h30 - 14 de setembro de 2019, 16h30

Inscrição

R$ 0,00

Lote Promocional Estudante
R$ 80,00
em até 12x R$ 8,03
Inscrições até 21/07/2019
Encerrado
Lote Promocional Profissional
R$ 100,00
em até 12x R$ 10,04
Inscrições até 21/07/2019
Encerrado
1 Lote Estudante
R$ 100,00
em até 12x R$ 10,04
Inscrições até 01/09/2019
0
1 Lote Profissional
R$ 120,00
em até 12x R$ 12,05
Inscrições até 14/09/2019
0

Descrição do evento


DESCRIÇÃO DO EVENTO

JUSTIFICATIVA E OBJETIVO

O II Fórum Internacional: Novas Abordagens em saúde mental em Pelotas têm por objetivo promover um espaço de debates e trocas de experiências entre pessoas e organizações que vêm construindo novas práticas em saúde mental, visando o desenvolvimento da qualidade dos serviços em articulação com a comunidade.

A idealização desse Fórum advém de articulações entre profissionais de saúde, professores, da IMHCN (International Mental Health Collaboration Network), do CENAT (Centro Educacional Novas Abordagens Terapêuticas), professores da UFPEL, usuários e familiares.

Os objetivos do evento contemplam:

·         Potencializar as parcerias entre trabalhadores, usuários dos serviços, suas famílias e comunidades;

 .         Implementar estratégias de desinstitucionalização com foco em recovery e inclusão;

.         Criar oportunidades para troca de idéia e discussão de outras opções para o avanço no cuidado em saúde mental, incluindo examinar o uso de medicamento como condição do tratamento em saúde mental;

.        Aumentar a conscientização de profissionais e trabalhadores da saúde sobre a importância de construir novas estratégias de abordagem em saúde mental, juntamente com os usuários dos serviços e suas famílias;

.        Discutir e divulgar experiências inovadoras que vem produzindo  mudanças significativas no campo da saúde mental no Brasil e em outros lugares do mundo.

TÓPICOS A SEREM DISCUTIDOS NO EVENTO

O objetivo é alcançar a saúde e bem-estar, independentemente do grau do transtorno mental ou angústia do indivíduo.

Isto requer uma mudança de paradigma no pensamento de patologia e doenças em direção à auto determinação, histórias de vida, forças humanas, esperanças e sonhos, apoio dos pares e de controle por parte do usuário, com apoio de profissionais como parceiros, mentores e defensores.

Estratégia de enfrentamento Ouvir Vozes:

O princípio essencial da abordagem de ouvir vozes é que nós não estamos necessariamente tentando mudar as vozes, nem eliminá-las da vida da pessoa. O que estamos tentando fazer é explorar o seu relacionamento com o ouvinte.

Fazer este trabalho vai ajudar o indivíduo ganhar uma perspectiva diferente, sobre o que as vozes estão tentando dizer. Se a pessoa conseguir desenvolver uma atitude mais forte, então as vozes podem mudar. Nosso objetivo é fazer com que o seu relacionamento, com o ouvinte mais igualitária ajudando a pessoa retomar controle.

    ●   Este método não se concentra nas vozes como um sintoma de uma "enfermidade" - nem se concentra em descobrir o que está "errado" com a pessoa.

     ●  Oferece uma atitude neutra, mas forte em trabalhar com vozes, aceitação é o ponto central da abordagem.

     ●  Ajuda a desenvolver maior consciência, objetividade e um relacionamento mais produtivo entre as vozes, o ouvinte e o profissional.

Gestão Autônoma da Medicação

A Gestão Autônoma da Medicação (GAM) é uma abordagem inovadora desenvolvida em parceria com usuários que fazem uso de medicação, considerando sua experiência subjetiva, se esforçando para colocar a pessoa no centro do tratamento farmacológico psiquiátrico, visando uma melhora no bem-estar e na qualidade de vida, criando oportunidades de expressão, diálogo e apoio entre as pessoas, os profissionais e seus próximos. 

Este artigo, resulta de uma pesquisa que apresenta os princípios, as práticas e os principais impactos da GAM no modo como as pessoas se relacionam com seus medicamentos e com os médicos que as prescrevem. 

Entre os principais efeitos observados, encontramos uma melhor compreensão da experiência, de seus direitos e do tratamento farmacológico; uma redução, ou eliminação das interrupções súbitas de tratamento e sem acompanhamento; uma percepção de maior controle sobre seu tratamento, sua experiência interior e sua vida; uma melhora no relacionamento entre profissionais com espaço para negociação; e mudanças nas prescrições, o que mostrou grande impacto no bem-estar, qualidade de vida na comunidade e restabelecimento (recovery). 

Características importantes da GAM são também identificadas em outras abordagens, dando voz às pessoas que utilizam medicação.

Estratégias para o modelo psicossocial

A política de saúde mental tem demandado um perfil de competências e habilidades dos profissionais de saúde mental para que possam lidar com um cuidado junto as pessoas em sofrimento psíquico grave de forma efetiva e promotora de inserção social. 

Neste sentido, estratégias terapêuticas na clínica se fazem necessário, como a prática na realização dos atores de cuidado institucional, do sujeito e dos membros da família circunstancial. 

Além desses, outros aspectos são importantes para o reconhecimento do sujeito, sua reinserção no território, por meio de um cotidiano funcional e de saúde. 

Portanto, promover aprendizagens aos profissionais e estudantes que atuam na área de saúde mental nas diferentes políticas públicas configuram uma estratégia para estimular um perfil que respondam as reais necessidades dos sujeitos em sofrimento psíquico no serviço, suas demandas pelo foco na comunidade. 

Diálogo Aberto:


Diálogo Aberto (Open Dialogue) na Finlândia, mostra como é possível tratar da esquizofrenia e das psicoses em geral, sem o uso de antipsicóticos, particularmente nos primeiros episódios agudos. A experiência finlandesa vem obtendo os melhores resultados em todo o mundo ocidental.


Na experiência na Finlândia, eles começaram a reforma do seu sistema de assistência em 1984, com as assim chamadas “reuniões de tratamento”nas quais a medicação fazia parte do que era discutido..

Princípios do Diálogo Aberto:

·   Ajuda imediata (há algo decisivo nas vidas das pessoas a espera de ajuda)

·   Rede Social (explorando os recursos disponíveis e os saberes dos atores)

·   Flexibilidade e mobilidade (ver os pacientes em suas residências e em seu meio social)

·   Responsabilidade (o mesmo médico acompanha todo o processo de tratamento, pois avalia-se que quando há vários profissionais envolvidos há, inevitavelmente,  muitas medicações prescritas)

·   Continuidade psicológica (a equipe acompanha todo o processo)

·   Tolerância à incerteza (as dúvidas fazem parte do processo de cuidado, há o reconhecimento de uma construção coletiva em curso e de  que não se tem de antemão as soluções)

.Com esses princípios, na prática clínica, a necessidade por medicamentos diminui muito significativamente.


 PERFIL DO PÚBLICO ALVO

Trabalhadores e estudantes da área da saúde e saúde mental; usuários dos serviços de saúde mental e seus familiares; pessoas que escutam vozes.

COMISSÃO ORGANIZADORA E APOIOS

CENAT

IMHCN (Rede Internacional de Colaboração em Saúde Mental)

Universidade Federal de Pelotas (UFPEL)

PALESTRANTES

Palestrante: Paul Baker (Inglaterra)

Currículo: Formado em Sociologia e Serviço Social  na Universidade de Manchester e pós graduação em Saúde Mental.  Secretário na International Mental Health Collaborating Network (IMHCN), coordenador de mídias sociais da Intervoice e um dos fundadores da Intervoice no Reino Unido. Desenvolveu projetos na área da saúde mental em Trieste (Itália), Servia, Croácia, Inglaterra e País de Gales. Realizou workshops em mais 15 países. Paul publicou o livro "The Voice Inside" (A Voz Interior). Escreveu capítulos e artigos sobre: recovery house, pessoas que ouvem vozes e medicalização da vida.

Palestrante: Céline Cyr (Canadá) 

Currículo: Formada em Serviço Social pela Université de Montréal e mestrado na mesma area, é pesquisadora com expertise em pesquisa qualitativa no campo das ciências sociais. Foi uma das articuladoras da oficialização da estratégia GAM no Canadá, A Gestão Autônoma da Medicação (GAM) é uma abordagem inovadora desenvolvida em parceria com usuários que fazem uso de medicação, considerando sua experiência subjetiva, se esforçando para colocar a pessoa no centro do tratamento, dando voz às pessoas que utilizam medicação.

Palestrante: Profa Luciane Prado Kantorski (UFPEL)

Currículo: Possui graduação em Enfermagem e Obstetrícia pela UFSM, mestrado em Educação pela UFSM(1994) e doutorado em Enfermagem pela Universidade de São Paulo -EERP-Ribeirão Preto (1998). Atualmente é Professora Associada da UFPEL. Foi Diretora da Faculdade de Enfermagem da UFPel entre setembro de 2006 e dezembro de 2014. Em 2005 e em 2009 realizou visita técnica e missão de trabalho na Universidade de Turim-Itália. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Avaliação de serviços de saúde mental, Realizou pós-doutorado na Università degli Studi di Torino.

Palestrante: Prof Mário Cardano (Itália)

Currículo: Formado em Filosofia na Universidade degli Studi di Torino. Professor na empresa Università degli Studi di Torino. Pesquisa sobre Abordagens Comunitárias na Saúde Mental em especial Grupo de Ouvidores de Vozes.

Palestrante: Sr Ivon Lopes

Currículo:  Trabalhou na Marinha do Brasil . No período que serviu na Marinha teve uma crise e ficou internado  no Pinel de Botafogo, depois que conheceu o Caps e a AUSSMPE não mais internou. No Rio atuou como líder comunitário ,na Rocinha ,onde exerceu a vice presidência da Associação da Comunidade. Ajudou a fundar a Ong Locomotiva de Saúde Mental e depois ajudou também na construção da AUSSMPE.Atualmente ele é Acadêmico de Serviço Social na UCPEL,  Conselheiro de Saúde,membro da Comissão de Saúde Mental de Pelotas/Rio Grande.

Palestrante: Profa Valeria Coimbra (UFPEL)

Currículo: Possui graduação em enfermagem pela Faculdade de Enfermagem e Obstetrícia da Universidade Federal de Pelotas (2001), Especialização em Educação Profissional na Área de Saúde (Enfermagem) pela Escola Nacional de Saúde Púlica Sérgio Arouca (2005), Mestrado (2003) e Doutorado (2007) em Enfermagem Psiquiátrica pela Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Enfermagem, com ênfase em saúde mental e saúde coletiva, atuando principalmente nos seguintes temas: avaliação de serviços de saúde, processo de trabalho, enfermagem psiquiátrica, saúde da família, serviços de saúde mental, organização, planejamento e gestão de serviços de saúde, reabilitação psicossocial infantil e família.

Palestrante: Tais Santos (CAPS Fragata)

Currículo: Possui graduação em Psicologia pela Universidade Católica de Pelotas (UCPel), Especialista em Terapia Cognitivo Comportamental pelo Isepe, experiência profissional na área de saúde mental, participa do grupo de pesquisa do curso de enfermagem da UFPel: enfermagem, saúde mental e saúde coletiva, participa como facilitadora do grupo de ouvidores de vozes do Caps Fragata/Pelotas.

Palestrante: Liamara Ubessi

Currículo: Expertise por experiência, ativa na Luta Antimanicomial, integrante da Coletiva de Mulheres Ouvidoras de Vozes - CMOV, da Associação de Usuários/as dos Serviços de Saúde Mental de Pelotas, do Coletivo Povaréu Sul - arte, saúde e educação popular, do Comitê pró Centro de Valorização da Vida - CVV em Pelotas, dos grupos musicais  L@s Lok@s e Esperança, do Grupo de Ouvidores/as de Vozes ‘Voz as nossas vozes’, do Programa de Rádio Ouvidores/as de Vozes na Rádio Com 104.5FM, da Associação de Pós-Graduandos/as em Enfermagem da UFPel, do Fórum Gaúcho de Saúde Mental Extremo Sul, acadêmica de Filosofia e pós-doutoranda em Enfermagem pela UFPel.


PROGRAMAÇÃO:


13 de setembro de 2019 

8:00 as 8:30 horas – Credenciamento

8:30 as 8:45 horas – Abertura

8:45 – 10 horas – O que são Novas Abordagens em Saúde Mental – Recovery? – Paul Baker – Inglaterra

10-10:30 horas – Open Dialogue – o Modelo Finlandês de Abordagem a Crise – Luciane Prado Kantorski (Professora Titular da UFPel)

10:30 as 12 horas – Mesa Redonda - Experiências e Experts por experiência de Ouvidores de Vozes

Grupo de Ouvidores de Vozes do CAPS Fragata – Tais Santos – Psicóloga do CAPS Fragata

Programa de Rádio Ouvidores de Vozes (Radio Com) – Liamara Ubessi e Ivon Naval (Membro da AUSSMPE)

Grupo de Ouvidores de Vozes – Roberta Machado e Andrea Molina Jaekel Bender (Membro da AUSSMPE)

12 as 12:30 horas - Debate

14 as 14:20 horas – Atividade cultural

14:20 as 16 horas – Mesa Redonda -O movimento dos ouvidores de vozes e a experiência italiana – Mario Cardano – Professor Ordinário da Universidade de Turim - Itália

Estudos e Pesquisas sobre Ouvidores de Vozes – Maria Laura Couto (Psicóloga e Doutoranda PPG Enfermagem UFPel) eValéria Coimbra (Professora Associada da UFPel) 

16 as 17:30 horas – Mesa Redonda - Gestão Autônoma da Medicação Celine Cyr – Canadá

Grupo GAM do CAPS Porto – Janaína Quinzen Willrich (Professora Adjunta da UFPel)

17: 30 as 18 horas – Projeto LOKAVIDA - Experiências musicais desenvolvidas nos últimos 20 anos em CAPS – Gilberto Isquerdo

18 as 18:30 horas – Debate


14 de setembro de 2019 – Local: Campus Anglo da UFPel (Endereço: Rua Gomes Carneiro 1)

Oficinas (máximo de 30 inscrições em cada) – 8:30 as 12 horas

1. Ouvidores de Vozes e Novas Abordagens na Atenção Psicossocial – Paul Baker

2. Gestão Autônoma da Medicação – Celine Cyr

3. Grupos Terapêuticos no Campo da Atenção Psicossocial – Etiene Menezes

4. Diálogo Aberto: novas abordagens de atenção à crise – Carla Wunsch (Professora da UFMT)

5. Gênero e Saúde Mental – Roberta Machado (Professora do IFRS)

6. Práticas Emancipatórias em Saúde Mental – Liamara Ubessi

7. Saúde Mental Infanto-Juvenil – Valéria Coimbra (Professora da UFPel), Clarissa Cardoso e Viviane Pereira

8. Abuso de Substâncias Psicoativas – Michele Mandagará Oliveira (Professora da UFPel), Lieni Fredo Herreira e Karine Langmantel

Tarde (14 as 16 horas)

Rodas de Conversa (apresentação oral – 10 minutos cada)

NORMAS

Cada participante poderá apresentar apenas 1 trabalho nas rodas de conversa.O prazo final para submissão de trabalhos vai até o dia 18/08 /2019;

O arquivo do resumo deverá ser encaminhado em word com identificação de autoria. Número máximo de 6 autores.

O objetivo é a discussão de temas relevantes no campo da saúde mental e boas práticas na saúde mental no sentido de suscitar debates, estimular a troca de experiências entre os participantes.

A formatação dos trabalhos (resumo) deverá ser a seguinte: o resumo deve ser constituído de um único parágrafo de texto. Formatação: tamanho: entre 500 a 1000 palavras (incluindo os espaços entre palavras);

Espaçamento entre linhas: 1; fonte: Times New Roman, 12; tamanho da página A4; margens: superior e esquerda com 3 cm e inferior e direita com 2 cm. Palavras chave: máximo de três; título do trabalho: letras maiúsculas, centralizado e negrito; nome do(os) autor(es): letras maiúsculas/minúsculas, alinhado à direita e negrito (abaixo do título) com identificação institucional. Formato: word.

Deverá seguir à organização: título do trabalho; autor(es); instituição; grupo de pesquisa e agência financiadora, se houver; Eixo Temático a que se vincula. 

Apresentação: Durante a sessão de apresentação nas rodas de conversa é necessário a presença de um dos autores que fará a apresentação do trabalho oralmente, em no máximo 10 minutos, na roda de conversa conforme a Temática indicada pela organização do Fórum. 

Para submissão do trabalho enviar o resumo para o email: forumpelotas@gmail.com

Temáticas:

1) Novas abordagens em saúde mental

2) Ouvir vozes

3) Saúde mental na atenção básica

4) Estratégias coletivas de cuidado em saúde mental

5) Saúde mental infanto-juvenil

6) Gênero e saúde mental

7) Álcool e drogas

INVESTIMENTO

Lote Promocional 40 primeiros inscritos 

Valor inscrição Estudante: R$ 100,00

Valor inscrição Profissional: R$ 120,00

1º Lote 

Valor inscrição Estudante: R$ 120,00

Valor inscrição Profissional: R$ 140,00

2º Lote 

Valor inscrição Estudante: R$ 140,00

Valor inscrição Profissional: R$ 160,00

3º Lote 

Valor inscrição Estudante: R$ 160,00

Valor inscrição Profissional: R$ 180,00

*Vagas limitadas 

Formas de pagamentos:

Cartão crédito em até 6 vezes (Com Juros)

Boleto

O que está incluso na inscrição:

Palestras 

Tradução Inglês-Português 

Brindes

Certificado com carga horária de 22 h

DATA E LOCAL

Data: 13 e 14 de setembro de 2019

Horário: 9:00h ás 18:00h

Local do Evento: 

13/09: Auditório da Faculdade de Direito da UFPel (Rua Félix da Cunha 363)

14/09: Campus Anglo da UFPel (Endereço: Rua Gomes Carneiro 1)

DICA DE HOSPEDAGEM:

A organização do Congresso fechou uma parceria com o site Booking.com. Clique Aqui para pesquisa o seu hotel


Dúvidas sobre o Fórum enviar email: pablovalente@cenatcursos.com.br ou clique aqui para enviar uma mensagem para o nosso whatsapp




Sobre o produtor

CENAT (centro educacional novas abordagens terapêuticas)

Comentários

Local

Auditório da Faculdade de Direito da UFPel
Rua Félix Xavier da Cunha, 363, Centro
Pelotas, RS

Ver mapa

Login

Esqueceu sua senha? Clique aqui.

Recuperar senha

Confira seu e-mail

O endereço indicado receberá um e-mail com instruções de como criar uma nova senha.

Criar conta

Ao me cadastrar, concordo com os Termos de uso e Política de privacidade da Sympla

Confira seu e-mail

Acesse seu e-mail e clique no link de confirmação.