4Cantos Produções


Compartilhar:

Próximos eventos

Sobre

Recife ganha circuito de música instrumental

 

Aurora Instrumental terá duas temporadas no Teatro Arraial; no primeiro semestre de 2018, programação de dez concertos acontecerá de 18 de abril a 20 de junho

 

Em 2018, nascerá no Recife um espaço legítimo da música instrumental, o circuito Aurora Instrumental. Aurora é paisagem e geografia da capital pernambucana. Também é o nome da tradicional rua do Centro do Recife, paralela ao Rio Capibaribe, e o endereço do Teatro Arraial Ariano Suassuna, local onde acontecerão todos os 20 espetáculos musicais da primeira edição do circuito - dividido em duas temporadas. O evento, contemplado pela seleção pública do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura), busca se posicionar como importante palco de expressão da diversidade, tradição e renovação da música instrumental e propõe o encontro do público com músicos e grupos instrumentistas de alta qualidade técnica e artística. A primeira temporada acontecerá de 18 de abril a 20 de junho, sempre às quartas-feiras, a partir das 19h30, e com ingressos a preços populares.

 

O concerto de abertura será feito pelo Spok Quinteto, grupo fundado pelo consagrado maestro Spok, um dos mais expressivos representantes da música instrumental pernambucana. Com um espetáculo mais intimista, o grupo executa frevos, caboclinhos e cirandas. “A gente buscou fazer uma curadoria mais plural, que refletisse essa força notória da música instrumental e reunisse diversas escolas, como Spok, que é um músico da velha guarda, uma referência como saxofonista e arranjador. Ele conseguiu ter uma força de penetração com o frevo, levou esse ritmo a outros patamares e para ser ouvido em outros espaços”, contextualiza o diretor Artístico e Musical do Aurora Instrumental, Gilú Amaral, que também é percussionista, produtor e compositor. Gilú, inclusive, mostrará no circuito o seu trabalho com referências regionais e étnicas de diferentes partes do mundo.

 

Outro artista com trabalho já consolidado, Zé da Flauta, vai apresentar um show autoral do seu último disco, no qual insere a flauta no rock’n’roll psicodélico.  A programação também conta com jovens talentos da música instrumental como o Henrique Albino Trio e Amaro Freitas Trio. O pianista Amaro Freitas é uma das grandes revelações da música instrumental, ele toca jazz com influências da música pernambucana e vem se destacando no cenário nacional, recebendo premiações. “Nessa primeira edição, a gente concentrou a programação em Pernambuco. Mas a proposta do Aurora é levar o circuito para outros lugares, e a grade também vai aos poucos abrir para músicos de outros estados e internacionais, e promover esse intercâmbio”, explica Gilú Amaral.

 

O público pode esperar grandes performances na primeira temporada, como a apresentação do experiente músico ‘das cordas’ Hugo Linns. Ele levará a escola da viola para o palco do Aurora. Já Vinícius Sarmento, um dos nomes mais importantes do violão popular em Pernambuco, vai fazer uma rara aparição para o público no circuito, com seu show solo. Com certeza, uma das atrações mais aguardadas da grade será o retorno da banda Rivotrill, depois de uma pausa de três anos fora dos palcos. O grupo já circulou pelo país e no exterior e teve uma grande repercussão em função do trabalho de alta qualidade voltado para a world music.

 

Com sua luz, o Aurora tem a responsabilidade de não se apegar aos segmentos tradicionais consolidados e se conectar com a produção atual, tanto os nomes consagrados e trabalhos considerados da ‘nova safra’. Essa renovação integrada à tradição norteia o evento, que estabelece conexão com ritmos e sons da cultura popular. “Mas não fizemos dessa premissa uma camisa de força. Nossa intenção é fortalecer o consumo da música instrumental em Pernambuco e possibilitar o contato do público com profissionais altamente qualificados, que fazem arte com música”, informa o produtor executivo do Aurora Instrumental, Félix Aureliano que, junto com Gilú Amaral, é responsável pela idealização e curadoria do circuito de música instrumental.

 

O grupo Quartetubas, que é um quarteto de tubas, como o nome sugere, é uma aposta da curadoria do Aurora Instrumental que também busca abrir espaço para bandas novas. Para encerrar a primeira temporada, a programação guardou um show de Anderson do Pife e a Banda Zé do Estado, grupo representante da música instrumental regionalista, e que defende a tradição do pífano.

 

SERVIÇO:

Aurora Instrumental – 1ª temporada

 

Período: às quartas-feiras, de 18 de abril a 20 de junho de 2018

Horário: às 19h30

Local: Teatro Arraial Ariano Suassuna (Rua da Aurora, nº, Boa Vista, Recife – PE)

Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).

Vendas: Bilheteria do Teatro Arraial (abre 1 hora antes do show).

 

Mais informações: www.aurorainstrumental.com.br

 

Siga o Aurora Instrumental nas redes:

 


 **PROGRAMAÇÃO 1ª TEMPORADA**

 

18/04 – Spok Quinteto

25/04 – Amaro Freitas Trio

02/05 – Henrique Albino Trio

16/05 – Vinícius Sarmento

16/05 – Gilú Amaral

23/05 – Rivotrill

30/05 – Hugo Linns

06/06 – Quartetubas

13/06 – Zé da Flauta

20/06 – Anderson do Pife e Banda Zé do Estado

Recuperar senha

Confira seu e-mail

O endereço indicado receberá um e-mail com instruções de como criar uma nova senha.

Criar conta

Ao me cadastrar, concordo com os Termos de uso e Política de privacidade da Sympla

Confira seu e-mail

Acesse seu e-mail e clique no link de confirmação.