App Sympla
Baixe agora

V Fórum Internacional Novas Abordagens em saúde mental Rio de Janeiro

O evento já encerrou...

Ver evento

explore outros eventos como esse

Evento encerrado

V Fórum Internacional Novas Abordagens em saúde mental Rio de Janeiro

IPUB/UFRJ - Rio de Janeiro, RJ
28 de junho de 2019, 09h - 29 de junho de 2019, 17h

Inscrição

Lote Promocional Estudante
R$ 130,00
em até 12x R$ 13,05
Inscrições até 23/12/2018
Encerrado
Lote Promocional Profissional
R$ 150,00
em até 12x R$ 15,06
Inscrições até 23/12/2018
Encerrado
1 Lote Estudante
R$ 150,00
em até 12x R$ 15,06
Inscrições até 10/02/2019
Encerrado
1 Lote Profissional
R$ 170,00
em até 12x R$ 17,07
Inscrições até 10/02/2019
Encerrado
2 Lote Estudante
R$ 170,00
em até 12x R$ 17,07
Inscrições até 22/02/2019
Encerrado
2 Lote Profissional
R$ 190,00
em até 12x R$ 19,08
Inscrições até 22/02/2019
Encerrado

Descrição do evento


INSCRIÇÕES ESGOTADAS

JUSTIFICATIVA E OBJETIVO

O V Fórum Internacional: Novas Abordagens em saúde mental IPUB/UFRJ têm por objetivo promover um espaço de debates e trocas de experiências entre pessoas e organizações que vêm construindo novas práticas em saúde mental, visando o desenvolvimento da qualidade dos serviços em articulação com a comunidade.

A idealização desse Fórum advém de articulações entre profissionais de saúde, professores, da IMHCN (International Mental Health Collaboration Network), do CENAT (Centro Educacional Novas Abordagens Terapêuticas), professores do IPUB/UFRJ, usuários e familiares.

Os objetivos do evento contemplam:

·         Potencializar as parcerias entre trabalhadores, usuários dos serviços, suas famílias e comunidades;

·         Implementar estratégias de desinstitucionalização com foco em recovery e inclusão;

·         Criar oportunidades para troca de idéia e discussão de outras opções para o avanço no cuidado em saúde mental, incluindo examinar o uso de medicamento como condição do tratamento em saúde mental;

·         Aumentar a conscientização de profissionais e trabalhadores da saúde sobre a importância de construir novas estratégias de abordagem em saúde mental, juntamente com os usuários dos serviços e suas famílias;

·         Discutir e divulgar experiências inovadoras que vem produzindo  mudanças significativas no campo da saúde mental no Brasil e em outros lugares do mundo.

TÓPICOS A SEREM DISCUTIDOS NO EVENTO

O objetivo é alcançar a saúde e bem-estar, independentemente do grau do transtorno mental ou angústia do indivíduo.

Isto requer uma mudança de paradigma no pensamento de patologia e doenças em direção à auto determinação, histórias de vida, forças humanas, esperanças e sonhos, apoio dos pares e de controle por parte do usuário, com apoio de profissionais como parceiros, mentores e defensores.

Sentimentos suicidas e justiça social

Sentimentos suicidas são cercados por medo e incompreensão. As comunidades são frequentemente julgadoras e encorajadas a relatar sentimentos suicidas aos profissionais de saúde mental, enquanto o padrão de cuidados em saúde comportamental enfatiza a avaliação rápida de risco e a intervenção médica.

Essa abordagem profissionalizada realmente apoia as pessoas e previne o suicídio? Ou às vezes pode piorar as coisas? Quais são as novas maneiras de reagir e viver com sentimentos suicidas? Como pode a necessidade de prevenir o suicídio também abraçar uma perspectiva de direitos humanos? 

Embora tenha a intenção de ajudar, a hospitalização forçada pode acabar causando mais danos. Muitas pessoas com medo de tratamentos forçados aprendem a esconder seus sentimentos suicidas.

Esta Palestra ajudará a superar o tabu em torno dos sentimentos suicidas, nos capacitará a falar mais abertamente, nos dará ferramentas concretas para engajar a nós mesmos e aos outros e nos preparar para transformar culturas organizacionais e respostas comunitárias a sentimentos suicidas, especialmente relacionados a ouvir vozes e experiências psicose.

O treinamento é baseado em mais de 10 anos de trabalho de Will Hall com grupos de apoio de pares; sua experiência como terapeuta e instrutor de saúde mental, e sua história pessoal como sobrevivente de tentativas de suicídio e como alguém que perdeu um membro da família ao suicídio.

Práticas alternativas a medicalização:

Uma alternativa à medicalização social no âmbito da atenção à saúde é a pluralização terapêutica das instituições de saúde, ou seja, a valorização e o oferecimento de práticas e medicinas alternativas e complementares.

Olga vai falar de Abordagens que vem sendo desenvolvidas com grande sucesso na busca de autonomia do usuário: Grupo de Ouvidores de Vozes e Open Dialogue.

A abordagem Diálogo Aberto desenvolvido na Finlândia. Na década de 80 a Finlândia era o país Europeu com mais casos de esquizofrenia. Hoje a experiência finlandesa é a que de longe obtém os melhores resultados em todo o mundo ocidental.

A fim de difundir o trabalho realizado com pessoas que ouvem vozes, seus familiares e profissionais de saúde mental, no sentido de que essas pessoas possam lidar melhor e aceitar as vozes como uma experiência que pode ser vivida de forma não patológica.

No campo da saúde, a experiência de ouvir vozes é tradicionalmente considerada como um sintoma da esquizofrenia, que, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, é um transtorno mental grave que afeta mais de 21 milhões de pessoas no mundo inteiro.

Contudo, o trabalho desenvolvido pela Intervoice constitui-se como uma alternativa ao saber psiquiátrico acerca da alucinação auditiva verbal, na medida em que a audição de vozes não é tomada como a expressão de um processo de adoecimento.

As pesquisas realizadas pela Intervoice mostram que ouvir vozes é uma experiência totalmente independente do diagnóstico de esquizofrenia e deve ser compreendida dentro da vasta gama das experiências subjetivas humanas. Neste sentido, a Intervoice defende que o problema não está em ouvir vozes, mas na dificuldade que algumas pessoas tem em lidar com essa experiência.


Estratégia de enfrentamento Ouvir Vozes:

O princípio essencial da abordagem de ouvir vozes é que nós não estamos necessariamente tentando mudar as vozes, nem eliminá-las da vida da pessoa. O que estamos tentando fazer é explorar o seu relacionamento com o ouvinte.
Fazer este trabalho vai ajudar o indivíduo ganhar uma perspectiva diferente, sobre o que as vozes estão tentando dizer. Se a pessoa conseguir desenvolver uma atitude mais forte, então as vozes podem mudar. Nosso objetivo é fazer com que o seu relacionamento, com o ouvinte mais igualitária ajudando a pessoa retomar controle.
    ●   Este método não se concentra nas vozes como um sintoma de uma "enfermidade" - nem se concentra em descobrir o que está "errado" com a pessoa.
     ●  Oferece uma atitude neutra, mas forte em trabalhar com vozes, aceitação é o ponto central da abordagem.
     ●  Ajuda a desenvolver maior consciência, objetividade e um relacionamento mais produtivo entre as vozes, o ouvinte e o profissional.
Suporte alternativo na intervenção a crise:
 Como nós respondemos as pessoas em momentos críticos em suas vidas podem ter uma influência significativa sobre a sua capacidade para responder e gerenciar o que está acontecendo com usuários, como eles se prepararam para seu futuro e sua recuperação.
Durante a apresentação iremos discutir os princípios fundamentais de uma equipe de crise.
O objetivo do Serviço Equipe de crise é ofertar um trabalho flexível, competente e proativo, operando no domicílio. 
O cuidado está ligado diretamente as questões: familiares, infraestrutura do domicílio e à oferta de diversas intervenções terapêuticas, todo este processo visa que o indivíduo possa enfrentar a crise, desenvolvendo habilidades de enfrentamento, reduzindo crises futuras e possa retomar o controle de sua vida o mais breve possível.

Atividades lúdicas na Saúde Mental:

O uso da música, teatro, rádios como complementação em saúde mental, facilita a relação com o cliente/usuário proporcionando o início da interação com o mesmo. As atividades lúdicas promovem sensação de bem-estar, atuando no cliente como um ato eficiente, protetor, fornecendo uma sensação de paz, e aceitação.

 PERFIL DO PÚBLICO ALVO

Trabalhadores e estudantes da área da saúde e saúde mental; usuários dos serviços de saúde mental e seus familiares; pessoas que escutam vozes.

COMISSÃO ORGANIZADORA E APOIOS

CENAT

IMHCN (Rede Internacional de Colaboração em Saúde Mental)

IPUB/UFRJ

 PALESTRANTES

Palestrante: Will Hall (EUA)
Currículo: Conselheiro, escritor e professor.Foi usuário do serviço de saúde mental, ele é um líder na abordagem de recovery em saúde mental e é um organizador dentro do movimento de sobreviventes psiquiátricos nos Estados Unidos. Hall é reconhecido internacionalmente como inovador no tratamento e na resposta social à psicose. Em 2001, ele fundou o Freedom Center e de 2004 a 2009 foi co-coordenador do The Icarus Project. Ele foi consultor dos Direitos Mentais dos Deficientes Internacionais, do Programa de Ação e Resposta Familiar e do Escritório sobre Violência Contra as Mulheres. Atualmente Will é pesquisador na Universidade de Maastricht na Holanda.

Palestrante: Eduardo Mourão Vasconcelos (UFRJ)
Currículo: Psicólogo, cientista político, doutor pela London School of Economics, pós-doutorado pela Anglia Ruskin University, Cambridge, Reino Unido. Professor da Escola de Serviço Social da UFRJ, pesquisador com bolsa de produtividade em pesquisa I-B do CNPq, e ativista dos movimentos de reforma psiquiátrica e antimanicomial no Brasil.

Palestrante: Pedro Gabriel Delgado (UFRJ)
Currículo: Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal de Juiz de Fora, mestrado em Psiquiatria pela UFRJ, doutorado em Medicina (Medicina Preventiva) pela USP e pós-doutorado na London School of Hygiene and Tropical Medicine, da Universidade de Londres (2008). Foi Coordenador Nacional de Saúde Mental, Álcool & Outras Drogas do Ministério da Saúde de agosto de 2000 a dezembro de 2010 e presidente da III Conferência Nacional de Saúde Mental (2001) e da IV Conferência Nacional de Saúde Mental -Intersetorial (2010). É professor adjunto da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Faculdade de Medicina e Instituto de Psiquiatria-IPUB). É vice-presidente regional da World Association for Psychosocial Rehabilitation (WAPR).

Palestrante: Maria Tavares (UFRJ)
Currículo: Possui graduação em Medicina pela UERJ, mestrado em Psiquiatria, Psicanálise e Saúde Mental pela UFRJ, doutorado em Psiquiatria, Psicanálise e Saúde Mental pela UFRJ e pos-doutorado na area de epidemiologia psiquiatrica na Universidade de Columbia, Nova York (2008). Atualmente é professora titular do Departamento de psiquiatria e medicina legal da faculdade de medicina da UFRJ. Foi eleita para a direção do Instituto de Psiquiatria da UFRJ para o período entre 2010-2014 e reeleita para um segundo mandato entre 2014-2018. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Psiquiatria, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde mental, doença mental, psicose e desinstitucionalização. Desde 2015 coordena o internato de medicina em saúde mental da UFRJ, no qual junto com colegas vem construindo uma proposta inovadora de integração entre o Internato de Saúde Mental e o de Medicina de Família e Comunidade, apostando na formação do médico generalista em saúde mental a partir da atenção primária à saúde. Dentro da necessidade de formação especializada para a gestão do Instituto de Psiquiatria da UFRJ (direção) concluiu curso de especialização em controladoria e gestão pública da FACC UFRJ em 2012.

Palestrante: Rosana Teresa Onocko (UNICAMP)
Currículo: Possui graduação em Ciências Médicas pela Universidade Nacional de Rosário (1986), residencia médica em Medicina Interna também pela UNR (1989), Especialização em gestão hospitalar pelo Technnion Institute (1993), mestrado em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas (1998), doutorado em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas (2001) e livre-docência pela Universidade Estadual de Campinas (2013). Desde 2004 é professor RDIDP da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas. Coordenou o Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva da Faculdade de Ciências Médicas. Coordenou a comissão de pós-graduação da FCM/Unicamp entre 2014-2018. Atualmente é Visiting Professor no Departamento de Psiquiatria da Universidade de Yale (2018-19). 

Palestrante: Nelson Filice de Barros (UNICAMP)
Currículo: Possui graduação em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1993), mestrado em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas (1997), doutorado em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas (2002) e Pós-Doutorado pela Universidade de Leeds/UK. Atualmente é Professor da Área de Concentração de Ciências Sociais Aplicadas á Saúde e coordenador do Laboratório de Práticas Alternativas, Complementares e Integrativas em Saúde (LAPACIS), do Departamento de Saúde Coletiva, da Faculdade de Ciências Médicas, Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Líder do grupo de Metodologia Qualitativa e Sociologia das Medicinas Alternativas, Complementares e Integrativas do CNPQ e vice-líder do grupo Racionalidades em Saúde: Sistemas Médicos e Práticas Complementares e Integrativas do CNPQ.
Mais palestrantes a serem confirmados

PROGRAMAÇÃO

28 de junho
8:30 – 9:00 Credenciamento
9:00 – 9:15 Mesa de Abertura 
9:15 - 10:30  (Definir)
10:30 – 10:40 Coffe Break
10:40 – 12:30 Medicalização os Riscos e Alternativas (Will Hall) 
 12:30 -14:00  Intervalo Almoço
 14:00 – 15:30   Introdução ao GAM (Gestão Autônoma de medicação)
15:30 – 15:40 – Coffe Break
15:40- 17:00 - Musicoterapia na saúde mental
16:40 – 18:00 Arte na saúde mental (TÁ PIRANDO?)

29 de junho
8:30 – 10:10 Prevenção ao suicídio
10:10 - 11:20 Práticas alternativas para os profissionais de saúde mental - Nelson Filice de Barros
11:30 -12:50  Apresentação de trabalho nas rodas de conversas
12:50 -14:00  Intervalo Almoço
14:00 – 15:30 Mesa Redonda: Novas Abordagens no tratamento a usuários de Álcool e Droga. 
15:30 – 15:40 – Coffe Break
15:40- 17:00.  Mesa Redonda: Os desafios da reforma psiquiátrica - Eduardo Mourão e Ana Pitta
17:00 – 17:30  Apresentação cultural

INVESTIMENTO
Lote Promocional 40 primeiros inscritos 
Valor inscrição Estudante: R$ 130,00 ESGOTADAS
Valor inscrição Profissional: R$ 150,00 ESGOTADAS
1º Lote 
Valor inscrição Estudante: R$ 150,00 ESGOTADAS
Valor inscrição Profissional: R$ 170,00 ESGOTADAS
2º Lote 
Valor inscrição Estudante: R$ 170,00 ESGOTADAS
Valor inscrição Profissional: R$ 190,00 ESGOTADAS

*Vagas limitadas 

Formas de pagamentos:
Cartão crédito em até 6 vezes (Com Juros)
Boleto
*Nota fiscal é emitido logo após a confirmação do pagamento.

O que está incluso na inscrição:
Palestras 
Tradução Inglês-Português 
Brindes
Certificado com carga horária de 22h

DATA E LOCAL

Data: 28 e 29 de junho de 2019

Local do Evento: IPUB/UFRJ: Auditório Leme Lopes - Av. Venceslau Brás, 71 - Botafogo, Rio de Janeiro

Dúvidas sobre o Fórum enviar email: pablovalente@cenatcursos.com.br ou clique aqui para enviar uma mensagem para o nosso whatsapp

APRESENTAÇÃO DE TRABALHO

Normas para Submissão de Trabalhos
O V Fórum em saúde mental, serão aceitas submissões de trabalho e relatos, apenas na modalidade Roda de Conversa. Esta configuração permite que todos os trabalhos sejam discutidos pelos participantes, ao invés de simplesmente expostos e com tempo de discussão muito limitado.

O objetivo das rodas de conversa é que os participantes possam compartilhar e discutir situações desafiadoras vividas no cotidiano da clínica em saúde mental e relatos de ouvidores de vozes. 

Solicitamos que seja enviada uma lauda com a descrição resumida da situação, os desafios que ela trouxe/traz, principais pontos que gostaria de discutir. Todas pessoas que enviarem relatos que forem aceitos receberão Certificado Online.

Temáticas das Rodas:

1- Atividades Lúdicas na Saúde Mental
2- Álcool e Drogas
3- Novas Abordagens em saúde mental
4 - Suicídio

As rodas tem as seguintes características:

1- O objetivo é a discussão de temas relevantes no campo da Saúde Mental no sentido de suscitar debates e estimular a troca de experiências.

2. O Facilitador controlará o tempo de exposição e vai ajudar na conversa.

3. Não serão disponibilizados equipamentos multimídia. O objetivo é promover um conversa e discussão.

4. Os trabalhos aprovados terão seus resumos publicados nos anais eletrônicos do Congresso.

5. Quantidade de caracteres: para titulo: máximo 150 caracteres com espaços; para o texto máximo 2500 caracteres com espaços.

6. Prazo final para o envio do resumo: 20/04/2019

7. O tempo para expor o relato é de 15 minutos.

PASSOS PARA SUBMISSÃO
Para submissão do trabalho enviar o resumo para o email: eventoscenat@gmail.com

HOTEL OFICIAL DO FÓRUM

A organização do Fórum em saúde mental IPUB/UFRJ fechou uma parceria com o site Booking.com. Indicamos hotel no bairro de Copacabana. 

Clique Aqui para pesquisa o seu hotel


Dúvidas sobre o Fórum enviar email: pablovalente@cenatcursos.com.br ou clique aqui para enviar uma mensagem para o nosso whatsapp

Sobre o produtor

CENAT (centro educacional novas abordagens terapêuticas)

Local

IPUB/UFRJ
Av. Venceslau Braz, 71, Botafogo
Rio de Janeiro, RJ

Ver mapa

Recuperar senha

Confira seu e-mail

O endereço indicado receberá um e-mail com instruções de como criar uma nova senha.

Criar conta

Ao me cadastrar, concordo com os Termos de uso e Política de privacidade da Sympla

Confira seu e-mail

Acesse seu e-mail e clique no link de confirmação.