App Sympla
Baixe agora

V Fórum Internacional Novas Abordagens em saúde mental Rio de Janeiro

IPUB/UFRJ - Rio de Janeiro, RJ
28 de junho de 2019, 09h - 29 de junho de 2019, 17h

Inscrição

R$ 0,00

Lote Promocional Estudante
R$ 130,00
Pague em até 12x
Inscrições até 23/12/2018
Encerrado
Lote Promocional Profissional
R$ 150,00
Pague em até 12x
Inscrições até 23/12/2018
Encerrado
1 Lote Estudante
R$ 150,00
Pague em até 12x
Inscrições até 10/02/2019
Encerrado
1 Lote Profissional
R$ 170,00
Pague em até 12x
Inscrições até 10/02/2019
Encerrado
2 Lote Estudante
R$ 170,00
Pague em até 12x
Inscrições até 22/02/2019
Encerrado
2 Lote Profissional
R$ 190,00
Pague em até 12x
Inscrições até 22/02/2019
Encerrado

Descrição do evento


INSCRIÇÕES ESGOTADAS

JUSTIFICATIVA E OBJETIVO

O V Fórum Internacional: Novas Abordagens em saúde mental IPUB/UFRJ têm por objetivo promover um espaço de debates e trocas de experiências entre pessoas e organizações que vêm construindo novas práticas em saúde mental, visando o desenvolvimento da qualidade dos serviços em articulação com a comunidade.

A idealização desse Fórum advém de articulações entre profissionais de saúde, professores, da IMHCN (International Mental Health Collaboration Network), do CENAT (Centro Educacional Novas Abordagens Terapêuticas), professores do IPUB/UFRJ, usuários e familiares.

Os objetivos do evento contemplam:

·         Potencializar as parcerias entre trabalhadores, usuários dos serviços, suas famílias e comunidades;

·         Implementar estratégias de desinstitucionalização com foco em recovery e inclusão;

·         Criar oportunidades para troca de idéia e discussão de outras opções para o avanço no cuidado em saúde mental, incluindo examinar o uso de medicamento como condição do tratamento em saúde mental;

·         Aumentar a conscientização de profissionais e trabalhadores da saúde sobre a importância de construir novas estratégias de abordagem em saúde mental, juntamente com os usuários dos serviços e suas famílias;

·         Discutir e divulgar experiências inovadoras que vem produzindo  mudanças significativas no campo da saúde mental no Brasil e em outros lugares do mundo.

TÓPICOS A SEREM DISCUTIDOS NO EVENTO

O objetivo é alcançar a saúde e bem-estar, independentemente do grau do transtorno mental ou angústia do indivíduo.

Isto requer uma mudança de paradigma no pensamento de patologia e doenças em direção à auto determinação, histórias de vida, forças humanas, esperanças e sonhos, apoio dos pares e de controle por parte do usuário, com apoio de profissionais como parceiros, mentores e defensores.

Sentimentos suicidas e justiça social

Sentimentos suicidas são cercados por medo e incompreensão. As comunidades são frequentemente julgadoras e encorajadas a relatar sentimentos suicidas aos profissionais de saúde mental, enquanto o padrão de cuidados em saúde comportamental enfatiza a avaliação rápida de risco e a intervenção médica.

Essa abordagem profissionalizada realmente apoia as pessoas e previne o suicídio? Ou às vezes pode piorar as coisas? Quais são as novas maneiras de reagir e viver com sentimentos suicidas? Como pode a necessidade de prevenir o suicídio também abraçar uma perspectiva de direitos humanos? 

Embora tenha a intenção de ajudar, a hospitalização forçada pode acabar causando mais danos. Muitas pessoas com medo de tratamentos forçados aprendem a esconder seus sentimentos suicidas.

Esta Palestra ajudará a superar o tabu em torno dos sentimentos suicidas, nos capacitará a falar mais abertamente, nos dará ferramentas concretas para engajar a nós mesmos e aos outros e nos preparar para transformar culturas organizacionais e respostas comunitárias a sentimentos suicidas, especialmente relacionados a ouvir vozes e experiências psicose.

O treinamento é baseado em mais de 10 anos de trabalho de Will Hall com grupos de apoio de pares; sua experiência como terapeuta e instrutor de saúde mental, e sua história pessoal como sobrevivente de tentativas de suicídio e como alguém que perdeu um membro da família ao suicídio.

Práticas alternativas a medicalização:

Uma alternativa à medicalização social no âmbito da atenção à saúde é a pluralização terapêutica das instituições de saúde, ou seja, a valorização e o oferecimento de práticas e medicinas alternativas e complementares.

Olga vai falar de Abordagens que vem sendo desenvolvidas com grande sucesso na busca de autonomia do usuário: Grupo de Ouvidores de Vozes e Open Dialogue.

A abordagem Diálogo Aberto desenvolvido na Finlândia. Na década de 80 a Finlândia era o país Europeu com mais casos de esquizofrenia. Hoje a experiência finlandesa é a que de longe obtém os melhores resultados em todo o mundo ocidental.

A fim de difundir o trabalho realizado com pessoas que ouvem vozes, seus familiares e profissionais de saúde mental, no sentido de que essas pessoas possam lidar melhor e aceitar as vozes como uma experiência que pode ser vivida de forma não patológica.

No campo da saúde, a experiência de ouvir vozes é tradicionalmente considerada como um sintoma da esquizofrenia, que, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, é um transtorno mental grave que afeta mais de 21 milhões de pessoas no mundo inteiro.

Contudo, o trabalho desenvolvido pela Intervoice constitui-se como uma alternativa ao saber psiquiátrico acerca da alucinação auditiva verbal, na medida em que a audição de vozes não é tomada como a expressão de um processo de adoecimento.

As pesquisas realizadas pela Intervoice mostram que ouvir vozes é uma experiência totalmente independente do diagnóstico de esquizofrenia e deve ser compreendida dentro da vasta gama das experiências subjetivas humanas. Neste sentido, a Intervoice defende que o problema não está em ouvir vozes, mas na dificuldade que algumas pessoas tem em lidar com essa experiência.


Estratégia de enfrentamento Ouvir Vozes:

O princípio essencial da abordagem de ouvir vozes é que nós não estamos necessariamente tentando mudar as vozes, nem eliminá-las da vida da pessoa. O que estamos tentando fazer é explorar o seu relacionamento com o ouvinte.
Fazer este trabalho vai ajudar o indivíduo ganhar uma perspectiva diferente, sobre o que as vozes estão tentando dizer. Se a pessoa conseguir desenvolver uma atitude mais forte, então as vozes podem mudar. Nosso objetivo é fazer com que o seu relacionamento, com o ouvinte mais igualitária ajudando a pessoa retomar controle.
    ●   Este método não se concentra nas vozes como um sintoma de uma "enfermidade" - nem se concentra em descobrir o que está "errado" com a pessoa.
     ●  Oferece uma atitude neutra, mas forte em trabalhar com vozes, aceitação é o ponto central da abordagem.
     ●  Ajuda a desenvolver maior consciência, objetividade e um relacionamento mais produtivo entre as vozes, o ouvinte e o profissional.
Suporte alternativo na intervenção a crise:
 Como nós respondemos as pessoas em momentos críticos em suas vidas podem ter uma influência significativa sobre a sua capacidade para responder e gerenciar o que está acontecendo com usuários, como eles se prepararam para seu futuro e sua recuperação.
Durante a apresentação iremos discutir os princípios fundamentais de uma equipe de crise.
O objetivo do Serviço Equipe de crise é ofertar um trabalho flexível, competente e proativo, operando no domicílio. 
O cuidado está ligado diretamente as questões: familiares, infraestrutura do domicílio e à oferta de diversas intervenções terapêuticas, todo este processo visa que o indivíduo possa enfrentar a crise, desenvolvendo habilidades de enfrentamento, reduzindo crises futuras e possa retomar o controle de sua vida o mais breve possível.

Atividades lúdicas na Saúde Mental:

O uso da música, teatro, rádios como complementação em saúde mental, facilita a relação com o cliente/usuário proporcionando o início da interação com o mesmo. As atividades lúdicas promovem sensação de bem-estar, atuando no cliente como um ato eficiente, protetor, fornecendo uma sensação de paz, e aceitação.

 PERFIL DO PÚBLICO ALVO

Trabalhadores e estudantes da área da saúde e saúde mental; usuários dos serviços de saúde mental e seus familiares; pessoas que escutam vozes.

COMISSÃO ORGANIZADORA E APOIOS

CENAT

IMHCN (Rede Internacional de Colaboração em Saúde Mental)

IPUB/UFRJ

 PALESTRANTES

Palestrante: Will Hall (EUA)
Currículo: Conselheiro, escritor e professor.Foi usuário do serviço de saúde mental, ele é um líder na abordagem de recovery em saúde mental e é um organizador dentro do movimento de sobreviventes psiquiátricos nos Estados Unidos. Hall é reconhecido internacionalmente como inovador no tratamento e na resposta social à psicose. Em 2001, ele fundou o Freedom Center e de 2004 a 2009 foi co-coordenador do The Icarus Project. Ele foi consultor dos Direitos Mentais dos Deficientes Internacionais, do Programa de Ação e Resposta Familiar e do Escritório sobre Violência Contra as Mulheres. Atualmente Will é pesquisador na Universidade de Maastricht na Holanda.

Palestrante: Eduardo Mourão Vasconcelos (UFRJ)
Currículo: Psicólogo, cientista político, doutor pela London School of Economics, pós-doutorado pela Anglia Ruskin University, Cambridge, Reino Unido. Professor da Escola de Serviço Social da UFRJ, pesquisador com bolsa de produtividade em pesquisa I-B do CNPq, e ativista dos movimentos de reforma psiquiátrica e antimanicomial no Brasil.

Palestrante: Pedro Gabriel Delgado (UFRJ)
Currículo: Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal de Juiz de Fora, mestrado em Psiquiatria pela UFRJ, doutorado em Medicina (Medicina Preventiva) pela USP e pós-doutorado na London School of Hygiene and Tropical Medicine, da Universidade de Londres (2008). Foi Coordenador Nacional de Saúde Mental, Álcool & Outras Drogas do Ministério da Saúde de agosto de 2000 a dezembro de 2010 e presidente da III Conferência Nacional de Saúde Mental (2001) e da IV Conferência Nacional de Saúde Mental -Intersetorial (2010). É professor adjunto da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Faculdade de Medicina e Instituto de Psiquiatria-IPUB). É vice-presidente regional da World Association for Psychosocial Rehabilitation (WAPR).

Palestrante: Maria Tavares (UFRJ)
Currículo: Possui graduação em Medicina pela UERJ, mestrado em Psiquiatria, Psicanálise e Saúde Mental pela UFRJ, doutorado em Psiquiatria, Psicanálise e Saúde Mental pela UFRJ e pos-doutorado na area de epidemiologia psiquiatrica na Universidade de Columbia, Nova York (2008). Atualmente é professora titular do Departamento de psiquiatria e medicina legal da faculdade de medicina da UFRJ. Foi eleita para a direção do Instituto de Psiquiatria da UFRJ para o período entre 2010-2014 e reeleita para um segundo mandato entre 2014-2018. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Psiquiatria, atuando principalmente nos seguintes temas: saúde mental, doença mental, psicose e desinstitucionalização. Desde 2015 coordena o internato de medicina em saúde mental da UFRJ, no qual junto com colegas vem construindo uma proposta inovadora de integração entre o Internato de Saúde Mental e o de Medicina de Família e Comunidade, apostando na formação do médico generalista em saúde mental a partir da atenção primária à saúde. Dentro da necessidade de formação especializada para a gestão do Instituto de Psiquiatria da UFRJ (direção) concluiu curso de especialização em controladoria e gestão pública da FACC UFRJ em 2012.

Mais palestrantes a serem confirmados

PROGRAMAÇÃO

28 de junho
8:30 – 9:00 Credenciamento
9:00 – 9:15 Mesa de Abertura 
9:15 - 10:30  (Definir)
10:30 – 10:40 Coffe Break
10:40 – 12:30 Medicalização os Riscos e Alternativas (Will Hall) 
 12:30 -14:00  Intervalo Almoço
 14:00 – 15:30   Introdução ao GAM (Gestão Autônoma de medicação)
15:30 – 15:40 – Coffe Break
15:40- 17:00 - Musicoterapia na saúde mental
16:40 – 18:00 Arte na saúde mental (TÁ PIRANDO?)

29 de junho
8:30 – 10:10 Prevenção ao suicídio
10:10 - 10:50 Relatos de Experiências: Vozes aos Protagonistas
10:50 -12:40  Apresentação de trabalho nas rodas de conversas
12:40 -14:00  Intervalo Almoço
14:00 – 15:30 Mesa Redonda: Novas Abordagens no tratamento a usuários de Álcool e Droga. 
15:30 – 15:40 – Coffe Break
15:40- 17:00.  Mesa Redonda: Os desafios da reforma psiquiátrica
17:00 – 17:30  Apresentação cultural

INVESTIMENTO
Lote Promocional 40 primeiros inscritos 
Valor inscrição Estudante: R$ 130,00 ESGOTADAS
Valor inscrição Profissional: R$ 150,00 ESGOTADAS
1º Lote 
Valor inscrição Estudante: R$ 150,00 ESGOTADAS
Valor inscrição Profissional: R$ 170,00 ESGOTADAS
2º Lote 
Valor inscrição Estudante: R$ 170,00 ESGOTADAS
Valor inscrição Profissional: R$ 190,00 ESGOTADAS

*Vagas limitadas 

Formas de pagamentos:
Cartão crédito em até 6 vezes (Com Juros)
Boleto
*Nota fiscal é emitido logo após a confirmação do pagamento.

O que está incluso na inscrição:
Palestras 
Tradução Inglês-Português 
Brindes
Certificado com carga horária de 22h

DATA E LOCAL

Data: 28 e 29 de junho de 2019

Local do Evento: IPUB/UFRJ: Auditório Leme Lopes - Av. Venceslau Brás, 71 - Botafogo, Rio de Janeiro

Dúvidas sobre o Fórum enviar email: pablovalente@cenatcursos.com.br ou clique aqui para enviar uma mensagem para o nosso whatsapp

APRESENTAÇÃO DE TRABALHO

Normas para Submissão de Trabalhos
O V Fórum em saúde mental, serão aceitas submissões de trabalho e relatos, apenas na modalidade Roda de Conversa. Esta configuração permite que todos os trabalhos sejam discutidos pelos participantes, ao invés de simplesmente expostos e com tempo de discussão muito limitado.

O objetivo das rodas de conversa é que os participantes possam compartilhar e discutir situações desafiadoras vividas no cotidiano da clínica em saúde mental e relatos de ouvidores de vozes. 

Solicitamos que seja enviada uma lauda com a descrição resumida da situação, os desafios que ela trouxe/traz, principais pontos que gostaria de discutir. Todas pessoas que enviarem relatos que forem aceitos receberão Certificado Online.

Temáticas das Rodas:

1- Atividades Lúdicas na Saúde Mental
2- Álcool e Drogas
3- Novas Abordagens em saúde mental
4 - Suicídio

As rodas tem as seguintes características:

1- O objetivo é a discussão de temas relevantes no campo da Saúde Mental no sentido de suscitar debates e estimular a troca de experiências.

2. O Facilitador controlará o tempo de exposição e vai ajudar na conversa.

3. Não serão disponibilizados equipamentos multimídia. O objetivo é promover um conversa e discussão.

4. Os trabalhos aprovados terão seus resumos publicados nos anais eletrônicos do Congresso.

5. Quantidade de caracteres: para titulo: máximo 150 caracteres com espaços; para o texto máximo 2500 caracteres com espaços.

6. Prazo final para o envio do resumo: 20/04/2019

7. O tempo para expor o relato é de 15 minutos.

PASSOS PARA SUBMISSÃO
Para submissão do trabalho enviar o resumo para o email: eventoscenat@gmail.com

HOTEL OFICIAL DO FÓRUM

A organização do Fórum em saúde mental IPUB/UFRJ fechou uma parceria com o site Booking.com. Indicamos hotel no bairro de Copacabana. 

Clique Aqui para pesquisa o seu hotel


Dúvidas sobre o Fórum enviar email: pablovalente@cenatcursos.com.br ou clique aqui para enviar uma mensagem para o nosso whatsapp

Sobre o produtor

CENAT (centro educacional novas abordagens terapêuticas)

Comentários

Local

IPUB/UFRJ
Av. Venceslau Braz, 71, Botafogo
Rio de Janeiro, RJ

Ver mapa

Recuperar senha

Confira seu e-mail

O endereço indicado receberá um e-mail com instruções de como criar uma nova senha.

Criar conta

Ao me cadastrar, concordo com os Termos de uso e Política de privacidade da Sympla

Confira seu e-mail

Acesse seu e-mail e clique no link de confirmação.