App Sympla
Baixe agora

Oficina: O que pode a memória da ida ao cinema?

Museu do Estado de PE - Recife, PE
19 de setembro de 2019, 13h - 20 de setembro de 2019, 17h

Ingressos

R$ 0,00

Único
R$ 45,45  (+ R$ 4,55 taxa)
em até 12x R$ 5,02
Vendas até 19/09/2019
0

Descrição do evento

Oficina #CineRuaPE

O que pode a memória da ida ao cinema? Reaberturas de cinemas e mobilizações dos públicos

 

Rearranjos arquitetônicos, tecnológicos, mercadológicos e de programação das salas de exibição cinematográfica e reorientações de seus vínculos com os públicos e os espaços urbanos/rurais são aspectos que atravessam as histórias globais e locais do cinema. Nas últimas duas, três décadas, algo interessante tem se destacado com maior intensidade: temas ligados à "sala de cinema", amiúde, têm ocupado as discussões de variadas esferas e atores da vida sociocultural de nossas sociedades (imprensa, âmbitos políticos/público-administrativos, organizações da sociedade civil e universos acadêmicos do cinema, estudos de mídia, história, arquitetura e urbanismo, sociologia etc.). Observamos, por exemplo, uma fértil produção de diagnósticos, inventários e previsões acerca das trajetórias de vida e morte dos equipamentos coletivos de exibição historicamente inseridos nos cotidianos das cidades.

Os debates que se organizam em torno das questões da sala de cinema levam em consideração uma série de fatores ligados às presenças e ausências de cinemas em diferentes contextos urbanos e socioculturais, tendo em vista a importância desses espaços nas construções de laços de sociabilidade, memória, pertencimentos identitários, subjetividades.

É neste contexto onde localizamos alguns notáveis casos de mobilização das audiências em prol de icônicos cinemas (geralmente, "de rua") hoje já desativados/abandonados ou sob iminente ameaça de desaparição simbólica e/ou material, no Brasil e no exterior.

Engajados via laços identitários, afetivos, sociopolíticos e reunidos pelas partilhas de memórias das práticas de “cinema-going”, grupos formados por frequentadores dos cinemas em perigo, cinéfilos e entusiastas em geral (institucionalizados ou não) lutam de variadas formas pela preservação e a reabertura das casas de exibição. Trata-se muitas vezes de ativismos, mobilizações e atos, ocupações, planos de ação, pressões sobre órgãos públicos, diálogos com a comunidade, pesquisas historiográficas, arqueológicas e levantamento de dados etc., ou seja, mecanismos operados por pessoas que não apenas vêm defendendo a permanência física de cinemas, mas que, do mesmo modo, atuam hoje em prol de uma vigorosa e crítica produção de memória e reflexões sobre esses equipamentos e os ambientes socioculturais, políticos, mercadológicos, tecnológicos, arquitetônicos e urbanos que os abraçam.

É diante deste horizonte que a oficina abordará em dois encontros questões relacionadas a objetos de pesquisa de Talitha Ferraz e tópicos teóricos e metodológicos de investigações realizadas sob a perspectiva das “Histórias de Cinemas” e da “New Cinema History”. A oficina conta com o apoio da Fundarpe / Secult, através do Programa Cine de Rua.

 

Conteúdos abordados na oficina:

Cinema de rua: um potente equipamento coletivo urbano/rural de lazer;

A memória da ida ao cinema e exercícios de nostalgia;

Reaberturas e ativismos de cinemas: entre resistências e capturas.

 

Sobre Talitha Ferraz

É mestre e doutora em Comunicação e Cultura, com ênfase em mídia e mediações socioculturais, pela Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO-UFRJ) e estágio doutoral na Universidade Nova de Lisboa, tendo todas as formações apoiadas com recursos da Capes. Realizou pós-doutorado no Centre for Cinema and Media Studies da Ghent University (CIMS-UGent), também com auxílio da Capes. É professora da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM Rio), onde atua como líder do Grupo de Pesquisa Modos de Ver - Estudos das salas de cinema, exibição e audiências cinematográficas (ESPM/CNPq), e do Programa de Pós-graduação em Cinema e Audiovisual da Universidade Federal Fluminense (PPGCine-UFF). É ainda pesquisadora associada à Coordenação Interdisciplinar de Estudos Contemporâneos da UFRJ (CIEC-UFRJ) e membro das redes de pesquisa HoMER Network - History of Moviegoing Exhibition and Reception; Cinema City Cultures e International Media and Nostalgia Network (IMNN). Desenvolve pesquisas ligadas aos estudos de cinema, memória e nostalgia, com foco nas experiências das audiências e práticas de exibição cinematográfica.

SERVIÇO:

Oficina: O que pode a memória da ida ao cinema?

Reaberturas de cinemas e mobilizações dos públicos

19 e 20/09

13h às 17h

MEPE: Av. Rui Barbosa, 960 - Graças, Recife

R$ 50

Inscrições pelo Sympla até 18/09*

*não haverá devolução do valor após a inscrição

Sobre o produtor

Coletivo #CineRuaPE

Fundado em novembro de 2015, durante a programação do VIII Janela Internacional de Cinema, o Coletivo #CineRuaPE tem o intuito de reunir esforços, promover atividades e discutir estratégias de continuidade, sustentabilidade e conscientização da importância de preservação dos cinemas de rua remanescentes no Estado, a fim de propor a criação de um circuito independente de salas de cinema de rua.

Comentários

Local

Museu do Estado de PE
Avenida Rui Barbosa, 960, Graças
Recife, PE

Ver mapa

Login

Esqueceu sua senha? Clique aqui.

Recuperar senha

Confira seu e-mail

O endereço indicado receberá um e-mail com instruções de como criar uma nova senha.

Criar conta

Ao me cadastrar, concordo com os Termos de uso e Política de privacidade da Sympla

Confira seu e-mail

Acesse seu e-mail e clique no link de confirmação.