App Sympla
Baixe agora

I Fórum Internacional: Novas Abordagens em saúde mental em Vitória

Espaço Vitória - Vitória, ES
23 de outubro de 2019, 09h-18h

Inscrição

R$ 0,00

Lote Promocional
R$ 50,00
em até 12x R$ 5,02
Inscrições até 30/06/2019
Encerrado
2 Lote
R$ 70,00
em até 12x R$ 7,03
Inscrições até 08/09/2019
Encerrado
1 Lote
R$ 60,00
em até 12x R$ 6,02
Inscrições até 19/08/2019
Encerrado
3 Lote
R$ 80,00
em até 12x R$ 8,03
Inscrições até 23/10/2019
0

Descrição do evento

JUSTIFICATIVA E OBJETIVO

O I Fórum Internacional: Novas Abordagens em saúde mental Vitória têm por objetivo promover um espaço de debates e trocas de experiências entre pessoas e organizações que vêm construindo novas práticas em saúde mental, visando o desenvolvimento da qualidade dos serviços em articulação com a comunidade.

A idealização desse Fórum advém de articulações entre profissionais de saúde, professores, da IMHCN (International Mental Health Collaboration Network), do CENAT (Centro Educacional Novas Abordagens Terapêuticas), usuários e familiares.

Os objetivos do evento contemplam:

·         Potencializar as parcerias entre trabalhadores, usuários dos serviços, suas famílias e comunidades;

·         Implementar estratégias de desinstitucionalização com foco em recovery e inclusão;

·         Criar oportunidades para troca de idéia e discussão de outras opções para o avanço no cuidado em saúde mental, incluindo examinar o uso de medicamento como condição do tratamento em saúde mental;

·         Aumentar a conscientização de profissionais e trabalhadores da saúde sobre a importância de construir novas estratégias de abordagem em saúde mental, juntamente com os usuários dos serviços e suas famílias;

·         Discutir e divulgar experiências inovadoras que vem produzindo  mudanças significativas no campo da saúde mental no Brasil e em outros lugares do mundo.

TÓPICOS A SEREM DISCUTIDOS NO EVENTO

O objetivo é alcançar a saúde e bem-estar, independentemente do grau do transtorno mental ou angústia do indivíduo.

Isto requer uma mudança de paradigma no pensamento de patologia e doenças em direção à auto determinação, histórias de vida, forças humanas, esperanças e sonhos, apoio dos pares e de controle por parte do usuário, com apoio de profissionais como parceiros, mentores e defensores.

Diálogo Aberto:

Diálogo Aberto (Open Dialogue) na Finlândia, mostra como é possível tratar da esquizofrenia e das psicoses em geral, sem o uso de antipsicóticos, particularmente nos primeiros episódios agudos. A experiência finlandesa vem obtendo os melhores resultados em todo o mundo ocidental.

Na experiência na Finlândia, eles começaram a reforma do seu sistema de assistência em 1984, com as assim chamadas “reuniões de tratamento”nas quais a medicação fazia parte do que era discutido..

Princípios do Diálogo Aberto:

·   Ajuda imediata (há algo decisivo nas vidas das pessoas a espera de ajuda)

·   Rede Social (explorando os recursos disponíveis e os saberes dos atores)

·   Flexibilidade e mobilidade (ver os pacientes em suas residências e em seu meio social)

·   Responsabilidade (o mesmo médico acompanha todo o processo de tratamento, pois avalia-se que quando há vários profissionais envolvidos há, inevitavelmente,  muitas medicações prescritas)

·   Continuidade psicológica (a equipe acompanha todo o processo)

·   Tolerância à incerteza (as dúvidas fazem parte do processo de cuidado, há o reconhecimento de uma construção coletiva em curso e de  que não se tem de antemão as soluções)

.Com esses princípios, na prática clínica, a necessidade por medicamentos diminui muito significativamente.

Estratégia de enfrentamento Ouvir Vozes:

O princípio essencial da abordagem de ouvir vozes é que nós não estamos necessariamente tentando mudar as vozes, nem eliminá-las da vida da pessoa. O que estamos tentando fazer é explorar o seu relacionamento com o ouvinte.

Fazer este trabalho vai ajudar o indivíduo ganhar uma perspectiva diferente, sobre o que as vozes estão tentando dizer. Se a pessoa conseguir desenvolver uma atitude mais forte, então as vozes podem mudar. Nosso objetivo é fazer com que o seu relacionamento, com o ouvinte mais igualitária ajudando a pessoa retomar controle.

    ●   Este método não se concentra nas vozes como um sintoma de uma "enfermidade" - nem se concentra em descobrir o que está "errado" com a pessoa.
     ●  Oferece uma atitude neutra, mas forte em trabalhar com vozes, aceitação é o ponto central da abordagem.
     ●  Ajuda a desenvolver maior consciência, objetividade e um relacionamento mais produtivo entre as vozes, o ouvinte e o profissional.

Gestão Autônoma da Medicação

A Gestão Autônoma da Medicação (GAM) é uma abordagem inovadora desenvolvida em parceria com usuários que fazem uso de medicação, considerando sua experiência subjetiva, se esforçando para colocar a pessoa no centro do tratamento farmacológico psiquiátrico, visando uma melhora no bem-estar e na qualidade de vida, criando oportunidades de expressão, diálogo e apoio entre as pessoas, os profissionais e seus próximos. 

Este artigo, resulta de uma pesquisa que apresenta os princípios, as práticas e os principais impactos da GAM no modo como as pessoas se relacionam com seus medicamentos e com os médicos que as prescrevem. 

Entre os principais efeitos observados, encontramos uma melhor compreensão da experiência, de seus direitos e do tratamento farmacológico; uma redução, ou eliminação das interrupções súbitas de tratamento e sem acompanhamento; uma percepção de maior controle sobre seu tratamento, sua experiência interior e sua vida; uma melhora no relacionamento entre profissionais com espaço para negociação; e mudanças nas prescrições, o que mostrou grande impacto no bem-estar, qualidade de vida na comunidade e restabelecimento (recovery). 
Características importantes da GAM são também identificadas em outras abordagens, dando voz às pessoas que utilizam medicação.

Sentimentos suicidas na contemporaneidade:

Sentimentos suicidas são cercados por medo e incompreensão. As comunidades são frequentemente julgadoras e encorajadas a relatar sentimentos suicidas aos profissionais de saúde mental, enquanto o padrão de cuidados em saúde comportamental enfatiza a avaliação rápida de risco e a intervenção médica.

Essa abordagem profissionalizada realmente apoia as pessoas e previne o suicídio? Ou às vezes pode piorar as coisas? Quais são as novas maneiras de reagir e viver com sentimentos suicidas? Como pode a necessidade de prevenir o suicídio também abraçar uma perspectiva de direitos humanos? 

Embora tenha a intenção de ajudar, a hospitalização forçada pode acabar causando mais danos. Muitas pessoas com medo de tratamentos forçados aprendem a esconder seus sentimentos suicidas.

Enik College: Centro para desenvolvimento e treinamento pessoal na Saúde mental

Enik Recovery College, Utrecht, Países Baixos

A Escola de Recovery Enik é um centro para desenvolvimento e treinamento pessoal. Além de vários cursos e treinamentos, há outros espaços para apoiar pessoas com problemas de saúde mental ou vícios.

Enik é um ambiente de aprendizado inspirador. Sem a intervenção dos provedores de cuidado em saúde mental, o usuário trabalha em seu próprio processo de recovery. Os vários cursos, treinamentos e grupos de recovery estão focados nisso.

Nos encontros, trocas acontecem entre pessoas que compartilham o mesmo modo de pensar (grupo de apoio). Atém do treinamento, moradia também é oferecida a estudantes baseado em um viver social.

Há um espaço de encontro social onde todos são convidados a se encontrar. Isto torna Enik Recovery College um conceito único.

Eles acreditam em empoderar participantes para dar forma a sua própria recovery e a de outros em um espaço compartilhado de aprendizado.

O Enik Recovery College usa uma abordagem educacional ao invés de um modelo terapêutico

Apoiar pessoas no reconhecimento e uso de suas próprias habilidades e talentos
Participantes encontram sua própria maneira de dar significado ao que tem acontecido com eles
Participantes são reconhecidos como experts em decidirem que forma dar a sua própria vida
Assistência é dada na identificação de talentos e no desenvolvimento de habilidades
Participantes recebem apoio para alcançar desejos e metas pessoais

Políticas de Álcool e Droga:

 PERFIL DO PÚBLICO ALVO

Trabalhadores e estudantes da área da saúde e saúde mental; usuários dos serviços de saúde mental e seus familiares; pessoas que escutam vozes.

COMISSÃO ORGANIZADORA E APOIOS

CENAT

IMHCN (Rede Internacional de Colaboração em Saúde Mental)

 PALESTRANTES

Palestrante: Martijn Kole (Holanda)
Currículo: Martijn é um dos fundadoras do Enik College na Holanda. Foi paciente dos serviços psiquiátricos na sua adolescência. Encontrou na criatividade sua forma de expressar e conseguir sua autonomia. Vêm trabalhando com abordagens inovadoras baseadas no ensino. Martijn formou no curso de treinadores da Abordagem Open Dialogue. Ele realizou palestra em vários países para falar sobre a abordagem inovadora do Enik College.

Palestrante: Carolina Mazel (EUA)
Currículo: Caroline Mazel-Carlton é uma sobrevivente de crise psiquiátrica diagnosticada como psicose, Diretora de Treinamento da Aliança Wildflower - Comunidade de Aprendizagem de Recuperação de Massachusetts Ocidental, Assistente Social  e Instrutora de Apoio a Suicídios. Diretora de Treinamento da Comunidade de Aprendizagem de Recuperação do Oeste de Massachusetts (WMRLC), promovendo um espírito de autodeterminação e apoio mútuo em vários lugares do mundo. Ela tem o privilégio de ser um facilitador / treinador para a abordagem "Alternativas ao Suicídio" por mais de cinco anos, promovendo conversas e conexões sobre o atual paradigma da "avaliação de riscos". 

Palestrante: Dr. Claudio Gruber Mann (IPUB/UFRJ)
Currículo: Possui graduação em Enfermagem e Obstetrícia (1995), Doutorado em Ciências pela ENSP da Fundação Oswaldo Cruz - FIOCRUZ (2017) e Mestrado em Enfermagem pela UFRJ (1997). Especialização em Saúde Mental realizada no IPUB/UFRJ (1998) e Especialização em Gênero & Sexualidade realizada no Instituto de Medicina Social (IMS) da - UERJ (2011). Acumula experiência na área de Enfermagem, com ênfase em Saúde Mental e prevenção e assistência das DST/AIDS na Saúde Mental, estigma e pesquisa. Desde 1996 é Coordenador da "Oficina de Saúde e Sexualidade", do IPUB/UFRJ, tendo ganhado vários prêmios com este trabalho. Consultor do Programa Nacional de DST/AIDS - Ministério da Saúde, realizando de 2001 a 2007, capacitações em todo Brasil para profissionais de Saúde Mental. De 2002 a 2012 foi Coordenador das Intervenções do Projeto Interdisciplinar em Sexualidade, Saúde Mental e AIDS - PRISSMA, em parceria com o IPUB/UFRJ, ABIA (Associação Brasileira Interdisciplinar de AIDS), Secretaria Municipal de Saúde-RJ, HIV Center-NY e a Columbia University, Nova Iorque, com financiamento do National Instutute of Mental Health (NIMH), EUA;  de dezembro de 2010 a fevereiro de 2013 fez parte da equipe de pesquisa da FIOCRUZ no estudo: "Perfil dos usuários de crack nas 26 capitais, DF, 9 regiões metropolitanas e Brasil", financiado pela SENAD, atuando como supervisor e, posteriormente, como entrevistador, do pólo do RJ. 

Palestrante: Leonardo Duart  (Campinas/SP)
Currículo: Possui graduação em Psicologia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (2008). Coordenador técnico/ psicólogo social - CARITAS ARQUIDIOCESANA DE CAMPINAS. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Social, atuando principalmente nos seguintes temas: População em situação de rua, dependência química e sua relação com cultura e sociedade. Conferencista sobre o tema de psicologia social, drogas, internação compulsória, direitos humanos e assistência social.



PROGRAMAÇÃO

      Horário                                23 de outubro
    7:50 – 8:20               Credenciamento
    8:20 – 8:30               Abertura do Fórum
    8:30 -  10:00       Introdução a abordagem Open Dialogue (Martijn Kole)
   10:00 -11:15               Ouvir Vozes não é sintoma de uma doença (Leonardo Duart)
   11:15- 12:45               Sexualidade e saúde mental (Dr. Claudio Gruber)  
   12:45 – 14:00       Intervalo para Almoço
   14:00 - 15:30       Prevenção ao suicídio (Carolina) 
   15:30-16:00               Microfone Aberto
   
INVESTIMENTO

Lote Promocional 40 primeiros inscritos 
Valor inscrição: R$ 50,00

1º Lote 
Valor inscrição: R$ 60,00

2º Lote 
Valor inscrição: R$ 70,00


3º Lote 
Valor inscrição: R$ 80,00

*Vagas limitadas 

Formas de pagamentos:
Cartão crédito em até 6 vezes (Com Juros)
Boleto

O que está incluso na inscrição:
Palestras 
Tradução Inglês-Português 
Brindes
Certificado com carga horária de 12 h

DATA E LOCAL

Data: 23 de outubro de 2019

Horário: 9:00h ás 18:00h

Local do Evento: Espaço VitóriaAv. Leitão da Silva, 2159 - Itararé, Vitória - ES

HOTEL OFICIAL DO EVENTO

A organização do Fórum em saúde mental em Vitória fechou uma parceria com o site Booking.com


Dúvidas sobre o Fórum enviar email: pablovalente@cenatcursos.com.br ou clique aqui para enviar uma mensagem para o nosso whatsapp

Sobre o produtor

CENAT (centro educacional novas abordagens terapêuticas)

Local

Espaço Vitória
Avenida Leitão da Silva, 2159, Itararé
Vitória, ES

Ver mapa

Login

Esqueceu sua senha? Clique aqui.

Recuperar senha

Confira seu e-mail

O endereço indicado receberá um e-mail com instruções de como criar uma nova senha.

Criar conta

Ao me cadastrar, concordo com os Termos de uso e Política de privacidade da Sympla

Confira seu e-mail

Acesse seu e-mail e clique no link de confirmação.