App Sympla
Baixe agora
Evento encerrado

Fela Day BH 2019

Viaduto das Artes - Belo Horizonte, MG
18 de outubro de 2019, 15h - 19 de outubro de 2019, 23h

Ingressos

Ingresso gratuito 
Grátis
Vendas até 18/10/2019
Encerrado
Ingresso Único 
R$ 10,00  (+ R$ 2,50 taxa)
em até 2x R$ 6,58
Vendas até 19/10/2019
Encerrado
Total
R$ 0,00

Descrição do evento

Fela Day BH 2019 - Dias 18 e 19 de outubro

Local: Viaduto das Artes

Fela Day BH é um tributo que acontece na cidade desde 2010, em referência à vida e obra do nigeriano Fela Kuti, enquanto figura e liderança política, seu discurso revolucionário de valorização das tradições africanas, pan-africanista, músico de produções notáveis, sacramentado como criador de um estilo musical de fortíssima expressão cultural e política: o AFROBEAT (uma mistura do funk e do jazz com as raízes rítmicas da África). A homenagem a Fela Kuti, por meio do Fela Day é realizada em várias cidades do mundo, em BH desde a primeira edição, busca-se priorizar as interações entre música, dança, formações, debates, artes visuais e audiovisual.


PROGRAMAÇÃO

18 de outubro (sexta) - Entrada: gratuita c/ retirada de ingressos

15:00 – Oficina: Dança dos Orixás Osun – Iemanjá e Afrobeat da Nigéria

O projeto Dança com P. trabalha os movimentos de dança dos orixás: Osun – Iemanjá e Afrobeat da Nigéria, seguida de jogos de palavras, leitura de poesias e poemas. Voltada para todo público, trabalha a autoestima, beleza e empoderamento, além de dançar e ler trechos de poesias, o público recebe pinturas no rosto e partes do corpo. Ministrante: Vanessa Soares (SP) - Arte educadora, produtora de músicos, eventos na FNMH2-Frente Nacional de Mulheres no Hip Hop, atriz no coletivo AGÔ Performances Negras e sócia proprietária da produtora Movimentar Produções Artísticas.

17:00 – Abertura da Exposição ANIKULAPO

As fotografias traduzem memórias vivas da visita ao país de Fela onde foram captadas as muitas cores e movimentos do povo nigeriano, do AFROBEAT e do caos e calor dos cenários urbanos de Lagos. O trabalho fotográfico realizado por Micael Hocherman contempla a atual reaproximação do Brasil com a África e surge em um momento rico de discussão e valorização da cultura e histórias resultantes da diáspora. Os registros de ANIKULAPO na Nigéria reúnem as situações, olhares e vigor de uma cultura pulsante, um movimento musical vivo e uma realidade distante e ao mesmo tempo tão intrínseca nos nossos dias. Produção: Pedro Rajão / Fotografia: Micael Hocherman

18:00 – Exibição do Filme: Mulheres Negras – Projetos de Mundo

Nove mulheres, muitas vozes do presente, sem perder as referências do passado. Através de vivências e reflexões, o filme levanta questões sobre o que é ser mulher negra no Brasil. A linha narrativa do filme reverbera vozes de mulheres que apresentam seu projeto de mundo que, no fim, projetam o resgate de uma humanidade historicamente negada. Direção: Day Rodrigues e Lucas Ogasawara | Duração: 26 minutos

19:00 – Exibição do Filme: Finding Fela

Documentário conta a vida do nigeriano Fela Kuti. O músico, compositor e um dos pioneiros do estilo musical Afrobeat, Fela se destacou por ser um ativista político e defensor dos direitos humanos no seu país, defendendo a Nigéria em outros países e levando para a África valores como do Black Power Americano. Lançado em 2014 pelo diretor vencedor do Oscar Alex Gibney, o filme teve sua estreia mundial no Cinema de Sundance.

Direção e roteiro: Alex Gibney | Duração: 120 minutos

21:00 – Roda de conversa: A música é a arma do Futuro

Troca de ideias sobre as conexões entre o legado do pan-africanista, criador do afrobeat Fela Kuti e os movimentos de resistência negra no Brasil.

Convidados: Marcos Cardoso, Léo Oliveira, Geo Cardoso, Vanessa Soares, Pedro Rajão e Rosália Diogo. Mediação: Rafael Aquino

22:00 – Discotecagem: DJ Rajão (RJ)

23:00 - Encerramento


19 de outubro (sábado) - Entrada: preço único de 10 reais

Feira de Afroempreendedores: Comidas, Vestuários e Artesanatos

Graffiti: Benet Castro

A mais de 20 anos nas ruas, becos, favelas, presídios...fazendo arte e aperfeiçoando técnicas autodidatas, se dedicando com amor e constância para colorir os espaços. Adequando a arte as estruturas diversas da cidade, interagindo com vários espaços e com o público, trazendo cores, cultura, atitude e felicidade. Uma expressão artística que valoriza culturas originais dos nossos antepassados indígenas e africanos com estudos aprofundados e genealogia dos mesmos. Atualmente fazendo escola de graffiti nas favelas, ocupações, presídios e ONGS entre outros.


Shows

16:00 – Abadá Capoeira

É uma instituição de utilidade pública com representantes em todo território brasileiro e em mais de 60 países, divulgando a arte da capoeira e a cultura brasileira. Tem como presidente fundador, José Tadeu Carneiro Cardoso, Mestre Camisa. Foi fundada em 1988 e desde então vem crescendo e contribuindo para constante evolução da arte capoeira. No estado de Minas Gerais tem como um dos representantes o Professor Camaleão, que trará para o Fela Day a Capoeira, o Maculelê e o Samba de Roda.

17:00 – Brother Soul

Dançarinos de Black Music da periferia da cidade, se conheceram em 1983 num concurso de dança em sua comunidade e descobriram que tinham um desenho em comum: dançar aquela música com a qual se identificavam tanto, sem mesmo saber porque, afinal até então só ouviam samba e Roberto Carlos. A Paixão pela Black Musica gerou ao longo desses anos muitos frutos, como a realização de mais de 1.500 apresentações, participação em vários eventos pela cidade e também a oportunidade de dançar em São Paulo e no Rio de Janeiro, acompanhando a cantora Fernanda Abreu.

18:00 – DJ Geo

Músico, cantor e DJ, é idealizador e band leader do Baianas Ozadas. Começou a pesquisar sobre a música africana e discotecar no início dos anos 2000 no projeto Africando, junto com o DJ senegalês Ibrabamba, tendo participado de diversos eventos na capital e interior de Minas. Desde 2010 é realizador do tributo FelaDay BH e, ao lado do DJ Rafa Roots, conduz a Crew DJ Fela Beat BH, que apresenta uma viagem musical pelos ritmos do continente africano.

19:00 – Travessia Elevada

O grupo de Rap Travessia Elevada é formado por João Paiva (MC), Isabela Alves (MC) e Ester Oliveira (DJ), três jovens da região do Barreiro atuantes na cultura marginal da cidade de Belo Horizonte. O Travessia Elevada traz letras de crítica social e vivências da juventude periférica, sob a estética da poesia marginal dos saraus de rua e slams de poesia, e musicalmente do Rap com fortes influências do reggae, hardcore e música eletrônica.

20:00 – DJ Rajão (RJ)

Rajão é o idealizador e um dos produtores do Leão Etíope do Méier, recebeu alguns prêmios como o Diploma Heloneida Studart da Comissão de Cultura da ALERJ. Trabalha como DJ com foco de pesquisa no universo da música africana, produziu a finada festa Xacará Xirê. Também foi produtor por 3 anos seguidos do FELA DAY no Rio de Janeiro. Rajão foi coordenador da tradução do livro PICHÓN, a autobiografia de Carlos Moore. Dirige e produz o documentário ANIKULAPO, que trata de Fela Kuti e o movimento político e musical do afrobeat, participando de diversos eventos escolares e acadêmicos onde aborda o processo de produção do filme. Idealizador e curador do projeto NEGROMURO, que eternizou em muros públicos retratos de figuras negras históricas como Candeia, Fela Kuti, Clementina de Jesus, Abdias do Nascimento e Lima Barreto na Zona Norte e Oeste."

21:00 – Negra Ruiva

Wanessa Rodrigues, é a MC NEGA RUIVA. Veio de Bocaiuva (norte de Minas) para BH em 2014, onde teve seu primeiro contato com as batalhas de RAP em Belo Horizonte, assistindo aos duelos da então Batalha da Pista. Em 2016 deu início aos seus trabalhos como MC na Faroeste Clandestina, ao notar a ausência feminina nos combates, e afim de desconstruir ideias racistas, preconceituosos, machistas, homofóbicos, xenofóbicos e genocidas.

21:30 – Babadan Banda de Rua

A banda de rua BABADAN nasceu em 2017 no âmbito da incubadora de projetos do Bloco Afro Magia Negra, a partir do desejo de reunir um coletivo de pessoas comprometidas no combate ao preconceito étnico-racial relacionado ao povo de pele preta, reverenciando os valores da CULTURA AFRO, dando ênfase à imensa contribuição do povo negro na formação e construção do Brasil. Fundamenta-se no comportamento musical de bandas dos tempos do Brasil Colônia, onde imperava a sonoridade dos instrumentos de SOPRO. O diferencial da BABADAN é a substituição, na sua base percussiva, dos tambores com pele de plástico pelos TAMBORES com pele de couro - atabaques, djembes, dunduns e caixas, patangomes e gungas – instrumentos utilizados no REINADO afro brasileiro de MINAS GERAIS; e a utilização de ferramentas de trabalho, como a enxada, tendo o seu uso ressignificado para a música.

23:00 – Encerramento


Realização: Fela Day BH

Apoio: Viaduto Das Artes - Casa Criativa - Instituto Macunaíma De Cultura - Escola De Cidadania - Abadá Capoeira - JNP - Academia da Rua

Sobre o produtor

Fela Day BH

O Fela Day BH desde sua primeira edição cumpre com a função de construir e ampliar a ponte entre essas manifestações, como sugere a cultura afrobeat e o legado de Fela kuti. Para tanto, que o local escolhido para edição de 2019 será o Viaduto das Artes, espaço que conecta a juventude e proporciona o acesso da população periférica de várias regionais de BH e de municípios vizinhos, como Contagem, Ibirité e Betim.

Local

Viaduto das Artes
Avenida Olinto Meireles, 45, Barreiro
Belo Horizonte, MG

Ver mapa

Login

Esqueceu sua senha? Clique aqui.

Recuperar senha

Confira seu e-mail

O endereço indicado receberá um e-mail com instruções de como criar uma nova senha.

Criar conta

Ao me cadastrar, concordo com os Termos de uso e Política de privacidade da Sympla

Confira seu e-mail

Acesse seu e-mail e clique no link de confirmação.