Afrocidade no Galpão Busca Vida

Estrada da Serrinha, Km 3 - Bragança Paulista, SP
20 de maio de 2017, 22h - 21 de maio de 2017, 04h

Compartilhar:

Ingressos

Ingresso Antecipado
R$ 10,00  (+ R$ 2,00 taxa)
Vendas até 16/05/2017
Encerrado
Ingresso Antecipado
R$ 15,00  (+ R$ 2,00 taxa)
Vendas até 18/05/2017
Encerrado
Ingresso Antecipado
R$ 20,00  (+ R$ 2,00 taxa)
Vendas até 20/05/2017
Encerrado

Descrição do evento

AFROCIDADE

 

 

É bastante sugestivo dizer que a banda Afrocidade nasceu de um encontro de percussionistas. Isso porque, em 2011, o núcleo de Música na Cidade do Saber, no município de Camaçari, ofereceu oficinas de percussão e foi neste momento que os primeiros integrantes se conheceram e fundaram o grupo. Sendo assim, ficaevidente que os ritmos percussivos, presentes em diversos gêneros, são as bases para a formação da identidade musical da banda.

O som resultadasmais variadasexpressões da música negra, que o grupo chama de Afro-Regional-Beat. “É uma mistura de letras politizadas, com ritmos populares como o arrocha e o pagode, além da música afro, dub jamaicano, o reggae, o ragga e o afrobeat, por exemplo”, explica Eric Mazone, baterista e produtor da banda. Além de saudar os tambores da África, o Afrocidade reafirma em suas letras a força, importância e influência diretados valores étnicosnos baianos e brasileiros.

 

“A nossa história começou foi lá na África. Entre idas e vindas, o povo oprimido pela escravidão. Afrocidade vem quebrando essa diáspora. Nações se levantam e lançam corrente pela união” DIÁSPORA - Afrocidade

 

Atenta ao cotidiano ao seu redor e às questões vividas no dia-a-dia, a banda Afrocidade traz reflexões ainda sobre a desigualdade e consciência negra, expressando sua ótica sobre o mundo. A banda é formada por Jose Macedo, Rafael Lima, Fernanda Maia, Ueslei Melo, Marley Lima (baixo), Sulivan Nunes (teclado) e Eric Mazzone (bateria). O trio desopro é formado por músicos convidados. Sendo assim, Afrocidade pode ser facilmente chamada de Big Band com referências e musicalidades distintas que formam uma unidade.

Antes de definirem o que hoje é a identidade da banda, o Afrocidade fazia trilha sonora ao vivo para um grupo de dança. Depois, começaram a fazer shows durante eventos promovidos pelo próprio núcleo de música. Neste período, o repertório era repleto de releituras de músicas populares de bandas e artistas baianos, como: Olodum e Caetano Veloso. Além de covers da banda pernambucana Nação Zumbi, que tem forte influência no trabalho autoral do grupo. Por falar em influências, vale destacar que elas permeiam por vários universos. “Toda a música da Bahia influencia na construção do nosso som. Desde grupos como Ilê Aiyê e Malê de Balê até Igor Kannário. De Rumpilezz até Silvano Salles. De Timbalada à FelaKuti. Acompanhamos o circuito alternativo do cenário local e nacional. Desde a cena cultural de Recife a Belém do Pará. Além de muito rap nacional e internacional”, conta o baterista.

Apesar de ter, na sua cidade natal (Camaçari), um público cativo que tem músicas(como o “hit” Que Swingue é Esse?) na ponta da língua - e dos pés -, o primeiro EP da banda, intitulado “Cabeça de Tambor” (2016), foi lançado recentemente. O EP foi financiado pela Fundação Cultural da Bahia (Funceb), através do edital do Calendário das Artes. Sendo assim, a banda segue na missão de incorporar o contemporâneo e refletir, na medida do possível, a cidade em movimento, revelando suas nuances e valorizando suas diferenças. Os tambores contagiam e saúdam a ancestralidade do povo baiano. 

A maioria das composições é do vocalista Macedo. Parte delas é fruto da parceria entre Macedo e o baterista e produtor do grupo, Eric. Para eles, a que mais representa a identidade da banda e sua fusão de referências é “Afrocidade”, música homônima ao nome a banda. Esta faixa, que abre o primeiro EP“Cabeça de Tambor”, começa com um minuto de instrumental e segue com uma letra que reflete cenas do dia-a-dia contemporâneo das grandes cidades.

 

"asfalto, cimento, casas, prédios, automóveis, nas grandes metrópoles, megalópoles, espíritos pobres. onde o de baixo desce e o de cima sobe, enfraquece a maioria e a minoria vive de hobby. e que roube, na babilônia não me prendo, livre acendo o fogo e vejo tudo acontecendo." AFROCIDADE - Afrocidade

 

SITE - www.afrocidade.com.br

 

FANPAGE - https://www.facebook.com/Afrocidade

 

INSTAGRAM - @afrocidade

 

Sobre o produtor

Galpão Busca Vida

Comentários

Local

Estrada da Serrinha, Km 3
Estrada Municipal José Vaccari, s/n, Serrinha
Bragança Paulista, SP

Login

Esqueceu sua senha? Clique aqui.

Recuperar senha

Confira seu e-mail

O endereço indicado receberá um e-mail com instruções de como criar uma nova senha.

Criar conta

Ao me cadastrar, concordo com os Termos de uso e Política de privacidade da Sympla

Confira seu e-mail

Acesse seu e-mail e clique no link de confirmação.